segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

O desatino calcificado

Sexo é osso da bacia.
Ancas
Ancas largas

A bacia desponta nas carnes. Contém o sexo.
liberta o sexo tocar nos ossos da bacia:
Em contraste com o macio da pele e a consistência mansa do músculo.

Quando pequena estranhava o nariz. Onde se enfia o nariz na hora do beijo? Nunca soube. Assim como nunca soube onde encaixar o osso da bacia. Delicioso imaginar dois corpos levitando um no outro, suspensos pelo encontro das bacias.

Daí pensei na quebra dos ossos
e entendi a dor da transa...

A mão perpassando a forma cheia vazia era um rebuliço nas idéias adolescentes.

Os portugueses chegaram na praia e viram as índias expostas no sol. E o abaixo da cintura era todo moreno e sem o emaranhado de panos e rendas européias.
A cavidade nativa ao sol
A cavidade nativa era o céu

Navegar mares para encontrar ouro e não ter onde colocá-los?

Sexo é recipiente mais que receptor

a bacia acolhe as mãos e a líbido
lá repousa a inquietude humana para que encorpe e vire um caos tão angustiante
que chamamos de prazer

8 comentários:

AnaRita disse...

Demorou por problemas técnicos e frescurangens quanto ao conceito de incesto , mas taí a primeira postagem do ano.
Aberta a críticas de seja lá quem for:

Flávio A disse...

gostei do momento masturbação na segunda estrofe. mas vc tava inspirada, hein?

Lara disse...

ô texto bom! tratou o sexo de uma forma poética, sem muito lirismo e filosofia. gostei da franqueza, que, às vezes, deu até um ar de "infantilidade"(não no sentido pejorativo, de forma alguma), como na brilhante comparação entre nariz e osso da bacia. sem falar nos trechos bastante sonoros, muito bem bolados (a 5º estrofe e os 2 últimos versos da 6ª, principalmente). enfim, me agradou bastante.

pit disse...

e o momento pasquale xisburguer

expostas no sol?

sei não ritinha.

AnaRita disse...

Veremos os erros da regência sorrateira.
Vocês acham que o final ficou muito fraco?

pit disse...

tá, eu vou falar.

nada a ver com o final, que pra mim, está bem adequado ao restante.

qualidade inquestionáavel.

acredito mesmo é que esse texto tá assim, nem sei, sabe?
falta a essência ana rita.

nos outros, no título estava a tal essência, nesse, pareceu-me sempre um esforço, sabe?

pode ser contaminação por te conhecer.

sei não.


estou me esforçando.
espero resposta(s).

e que não julguem impertinencia.

AnaRita disse...

Pois é esse foi um daqueles textos em que a idéia apareceu e eu achei que dava história, mas também acho que faltou alguma coisa. É como lá diz o Yuri, não é ruim, mas não comove.

leo disse...

me comoveu