sábado, 8 de março de 2008

Eternamente

- Se você sabe, então, por que pergunta?
- Para ouvir de tua boca.
- Mas, assim não é pior?
- Quem disse que o pior e o indesejável são o mesmo?

Disseram a você de novo?
Que estava tudo bem?
Que não havia erro?
Nem atropelo
De bicicleta
Ou de trem

Mas, aí
Vem
Sempre vem
Aquilo

Por que você continua assim?
Você não pode ser assim
Chata desse jeito
Você nem tem
Alguém

De que adianta tentar mudar?
Por mais que se caminhe
E modifique-se o andar
O final é sempre o mesmo
Você aí
Eu aqui
E todo mundo
Tentanto fingir
Que nada aconteceu

2 comentários:

AnaRita disse...

gostei da história do indesejável.

boa síntese desse cada um do seu lado fingindo. Eu concordo tanto com isso.

yuri disse...

a lara escreve do jeito que ela é fofa.