segunda-feira, 27 de abril de 2009

Então eu volto com o meu cabelo torto para o meu caminho torto, dessa vez sem o outro braço. Cambaleio por aí, fora do eixo, perdida do próprio centro de gravidade por alguns instantes que podem ser bem compridos ou nem tanto, dependendo do ponto de vista.
Do meu ponto de vista, isso aconteceu da segunda vez por todas. Mas na verdade, é bem possível que seja eterno até a próxima vez que você procurar pela minha ajuda. Não tendo mais mão que oferecer, eu te darei hesitante o que ainda restar de mim.
Acontece que no seu ponto de vista isso nunca vai ser o bastante. Você mais que depressa se cansa da minha incompletude e vai-se embora por aí com uma outra, uma bem melhor, que tenha abraços a lhe oferecer.
Então eu volto aos cacos para a minha estrada, torcendo pra esse meu caminho torto nunca mais cruzar com o seu.

4 comentários:

yuri disse...

pitie style, dog.

seu aproveitamento tem sido melhor que o meu. x textos x textos bons.

lara lorenzoni disse...

Muito bom o texto. Sensação de "que bom saber que não sou a única assim." Haha.

Tay disse...

essa vida torta sempre tratou de tomar conta da gente minha crazy.

mil saudades.

Filippe. disse...

caminhos tortos sempre acabam se cruzando.