domingo, 16 de agosto de 2009

Recuerdos de un ateo (vol. 1)




Não vá dizer que eu balancei - quando te vi.
Pois agora sou só eu e essas horas que você me deu.
Não vá dizer que eu balancei - quando te vi.

5 comentários:

yuri disse...

Cantor e compositor, o mundo dele não muda nada. O mundo dele não muda nada. Se alguém ainda lê isso por aqui, seguirão outros. Até.

@zilhoentremeios disse...

Hum!? Enmudecer à frente de Deus é uma dávida. Que calem-se todos os ateus e prestem a atenção no que é glorificar o Senhor Jesus Cristo.

Flávia disse...

Que Danilo não me ouça, mas eu creio num verso-star. Um rockstar dos versos. Um dos maiores dilemas de se sustentar um ateísmo, culturalmente, é encarar uma pressão de que é preciso e óbvio enxergar algo. Não há quem não tenha passado por isso, e como tal figura ilustre, você retratou de forma incrível isso, meio Tom Waits.

Leoni disse...

Fala, grande Yuri. Obrigado pelas fotos. Apesar de ter filmado a minha palestra, agora tenho os registros fotográficos. Foi ao show? E como disse a Flávia aqui em cima - muito bem dito e observado - o clima Tom Waits é impossível de não ser enxergado, o que não é desmérito algum.

Um abraço!

Yuri disse...

Dona Pitie, dona Pit. Vou economizar minhas suspeitas em relação a ti.