quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Meio entendedora, assimilo palavraetrêsquartos de algumas coisas que ouço falarem por aí.
Seletividade é escudo bom.
Mas se fica veladamente claro que as pedras vêm em minha direção, eu perco o senso por aproximadamente cinco minutos e vinte e sete segundos.
Penso em discar, mas não há mais discos numéricos nos telefones da minha cidade.
Que seja sinal de fumaça, eme esse ene, telepatia.
Faço questão de dizer à minha prima algumas coisas sobre as quais eu não sei o sabor nem o cheiro.
Colossais coisas sem forma.
Coisas de importância relativa.

"Querida prima,

O sinal anda fraco aqui na ilha, serei breve.
Listo aí algumas coisas. Palavras-chave, deduz o resto.
Confio nos seus conectivos.

* duvida dos críticos e da arte estranhos olha pros dois lados antes cuidado com os homens da vida não se contenta com meio pau pede doze manda notícias logo
* não chora
p.s.: nesse mesmo pombo envio dois litros do melhor leite
Paracatu.

carinhosamente, da outra prima."




4 comentários:

pit disse...

desde já, perdão pela piada interna.
não se repetirá, espero.

Tay disse...

sempre temo suas piadas internas.

gostei quando diz: "confo nos seus concetivos.".. criativo.

lari disse...

Interna?
Mas serviu pra mim também...
hahaha

Priscila, Priscila, os críticos de arte também amam, filhote!

Toda vez que ouço alguém pedir doze, ainda lembro daquela nossa memorável partida!
Faz um favor, amiga?
NÃO JOGA TRUCO!!!!
HAHAHA

AnaRita disse...

Dan�arina tava indo t�o bem, rodopiando, a� parece que melecou, doce,doce, mais que ambrosia...

A parte sem conectivos fez quest�o de fazer mais sentido que o resto e o texto mudou de forma. Gostei do fim.

ps: Achei que em paracatu s� tinha leite-manteiga