sábado, 24 de novembro de 2007

Scoreland

Eu crescia e meus sonhos aumentavam.
Acordava criança;
pensava gigante:
-roda
-montanha
-hamburguer
-corante

Eu cresci e meus sonhos mudaram.
Acordava à puberdade;
pensava bpm's múltiplos
-lábios
-new wave
-para fome: waffle
-nada de números

Eu crescia e meus peitos também.
Acordava inchada;
dava um beijo no Denilson
e ia gravar com a Luciana.
-dinheiro
-carnaval
-amaury
-tv fama

Envelheci e sinto um dilema:
sonhava em falar 'minhas riquezas!'.
não tive filho, porém;
sacrificar umbiguinho!? nem.
minhas riquezas?
todas as nossas fraquezas.

7 comentários:

Flávio A disse...

admiro quem consegue fazer bons poemas.

pit disse...

admiro quem consegue fazer bons poemas

La disse...

"sonhava em falar 'minhas riquezas!'"

Já sei... Você queria contar pros seus filhos que já quis ser uma goiaba? :X


=***

Isis disse...

Yu! Parabéns pelo prêmio! fiquei feliz mesmo. de coração. Você merece!

gostei do poema também, hehehe.

=*

AnaRita disse...

bom poema
adoro amaury em texto, taí um nome que tem cara de novela das oito.
só o final que perdeu um pouco, sei lá isso de não ter filhos é uma idéia legal mas não ficou bem escrita no poema, ficou meloso...
mas o resto, o resto me deliciou!

burrico disse...

gilda said: sen-sa-cio-nal

Ramon disse...

Poema bom de ler,ouvir e sentir.
Demais Tchuri