sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

o amor é um cão dos diabos

eu já trouxe o Matita Perê
já decorei:
os canais da sua tevê
os seus sutiens.

você vai se acostumando a entorpecer-se toda em meu corpo
vira e mexe o dia e a noite
eu sou seu mote.

eu te resguardo
de tudo o que não está
aqui.

você prevê os próximos 15 anos;
eu penso quando vou ter que voltar aqui pra buscar meu Matita Perê.

6 comentários:

Anônimo disse...

...e eu penso em quando você vai voltar aqui.

pit disse...

sinceridade de fã não existe.


acho que assim não está justo, senhor yuri.

teremos de re-negociar.

Flávio A disse...

gosto bastante quando o verso de um poema tem só uma palavra, tipo "que não está mais / aqui". no mais, poemas são difíceis de fazer bem; parabéns.

yuri disse...

desculpe pitie.
voltemos ao front de batalha.

marianna disse...

Demais, menino. Se não te vejo já um bocado, posso ler-te. Irônico e desinteressado como você.

pe.rosa disse...

oi yuri, estou passando aqui depois de um tempo já. vi que vc frequenta a comunidade da bizz e acompanho já seus textos (sensacionais) aqui nesse blog. então fica o convite de você pensar com a gente um projeto. O Arnaldo, lá do G1, o cartunista, já tá dentro. Conto com você. Ainda não falei na Bizz. Picharão. Aguardo sua resposta. =*