terça-feira, 27 de maio de 2008

Notas de oficina

O escritor tava no meio da vida e veio a idéia. Verdinha, travando a língua e só restava mesmo era pôr no papel. Foi correndo para a escrivaninha e o pensamento amadurecendo.

-Dizem que o segredo da escrita é controlar a liberação de etileno-

Aí, enfim ele achou uma pequena caderneta e um lápis. Só que a idéia rolou pelo braço madurinha até cair podre na folha. Um melequeiro só! O tal escritor ainda apontou o lápis para ver o que dava, mas o problema nunca é no galho seco.


PS: A idéia é boa quando tá de vez. Que aí vai pra folha que nem buriti no tacho, avermelhando, encorpando e vira doce de lamber os beiços.

3 comentários:

Nana Jiló disse...

Hmmm... Chega deu vontade de comer a poesia! E pobre do escritor. Mas sempre é assim, quando a gente vai ver, a fruta já apodreceu, e dá uma dor de barriga se a gente insistir...

pit disse...

calamaí que eu tenho que digerir isso...

Flávio A disse...

hahahahaha! ficou muito bom! a associação com a fruta foi genial