domingo, 29 de março de 2009

eu sou mais uma

"J9 ainda era tão menino
já dava tiros n'água
e afundou que nem submarino"


Hoje morreu mais uma flor dentro de mim. Foi a mão seca daquela criança colhendo gotas de chuva na noite escura que me fez ruir.
Murchou-se uma flor.
Mas não vai fazer muita falta, uma só no jardim imenso que eu tenho por revestimento interno.


Antidepressivo, antibiótico, antialérgico, anti um monte de coisas formam o invólucro em mim. Isso me garante, apesar dos percalços, remendos e garotos de mãos pretas, manter ilusões coloridas.
E assumo com culpa que eu as gosto de cultivar a despeito das gotas frias que molham a mão de uma criança.
Murchou-se uma flor, mas eu tenho outras que me fazem esquecer da vergonha de ter carne nas mãos.

3 comentários:

Tay disse...

vergonha de ter carne nas m~sod.
fascinante isso.
=*

AnaRita disse...

vergonha de ter carne nas mãos, impressionante, polissêmico e bem sua cara mais de um jeito que não é

Anônimo disse...

Quão sensível não é uma pessoa que consegue transformar em palavras revolta da desigualdade...
Parabéns! Eu fiquei com a alma feliz em ler isso...:)